O que é?

A hanseníase é uma doença infecciosa, altamente contagiosa e causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae. A doença é tão contagiosa que foi responsável por milhões de mortes na Europa durante a Idade Média e quase foi a responsável pela extinção da população europeia na época.
Ao infectar o corpo do paciente, a bactéria causadora da hanseníase inicia uma luta contra o sistema imunológico do paciente (por isso pessoas com imunodeficiências tendem a ter maiores complicações) e, por demorar a se multiplicar, seu tempo de incubação pode demorar de seis meses até uma média de seis anos.
Atualmente a doença é facilmente curável através do uso dos medicamentos e se detectada precocemente, não deixa sequelas significativas. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a hanseníase não é hereditária.

Causas

A bactéria que causa a hanseníase é transmitida através de gotículas emitidas pela respiraçãoo
Apesar de ser uma doença de pele, o contato direto com a pele do paciente infectado não transmite a doença.

Sintomas e Tratamentos

Os primeiros sintomas da hanseníase afetam a pele e extremidades do corpo, como mãos, pés, e em alguns casos podem atingir os olhos, orelhas e o nariz. Mas o principal sintoma sem dúvidas é o aparecimento de pequenas manchas esbranquiçadas ou avermelhadas em qualquer região do corpo, que geralmente são difíceis de serem detectadas.
Essas áreas, com o passar do tempo vão perdendo a sensibilidade, os pelos, o suor e a força muscular. Como a doença pode afetar, além da pele, os nervos, alguns pacientes apresentam dormências e atrofia dos músculos, principalmente das mãos e pés.
Em alguns casos pode-se notar o aparecimento de pequenos caroços nas regiões onde não há muita circulação de sangue como orelhas, mãos e cotovelos. Em casos extremos pode também ocorrer deformação dos membros superiores e inferiores por conta das alterações na musculatura esquelética e no sistema nervoso periférico.
A hanseníase é tratada através da poliquimioterapia e geralmente, o tratamento dura 6 ou 12 meses, a depender da classificação da doença. Atualmente o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece o tratamento gratuito para a população.
Como essa doença muitas vezes não causa nenhuma dor, é comum pacientes – principalmente em países pobres – não procurarem um dermatologista logo após o aparecimento das primeiras manchas, o que acaba ocasionando sequelas muitas das vezes irreversíveis.

Comentários: