Todos sabem que a exposição ao sol – em excesso – pode fazer mal à pele. No entanto, o que poucas pessoas sabem é que as luzes visíveis também são vilãs da saúde e da beleza da cútis. 

Além de favorecerem o envelhecimento precoce e o surgimento de manchas cutâneas, os raios UVA e UVB do sol, em conjunto com as luzes artificiais, pode aumentar as chances de desenvolver várias doenças cutâneas e, por isso, devem ser evitados a todo custo. Entenda melhor sobre cada tipo de luz e como elas agem na nossa pele:

O que é o Fotoenvelhecimento?

O fotoenvelhecimento é o processo de envelhecimento da pele provocado pela ação dos raios solares UVA e UVB. A exposição cumulativa ao sol, de forma inadequada e sem proteção, é responsável por acelerar a  perda de firmeza e viço da pele, contribuindo ativamente para o surgimento de rugas, manchas, poros dilatados e outros sinais.

 

  • RAIO UVB: É o principal responsável pelas queimaduras da pele, que causam vermelhidão, bolhas e ardência. Estão associados ao desenvolvimento do câncer de pele e ao surgimento de pintas escuras ou bolinhas vermelhas que não desaparecem sozinhas. Esse tipo de luz é mais incidente durante o verão, especialmente entre 10 e 16 horas. 

 

  • RAIOS UVA: Esses raios, pelo maior comprimento de onda, conseguem penetrar na epiderme e atingir a derme. Eles estão presentes durante o ano inteiro, inclusive em dias chuvosos e nublados. Outra informação importante é que os raios UVA ultrapassam as barreiras mecânicas, como vidros do carro e janelas, por isso é fundamental o uso do filtro solar até dentro de casa. Apesar de serem considerados menos agressivos que os raios UVB, estão associados ao câncer de pele e têm impacto direto no fotoenvelhecimento cutâneo, com o surgimento de manchas e a degradação das fibras de colágeno.

 

 

Mito ou verdade: A luz artificial faz mal para a pele?

V-E-R-D-A-D-E. 

Se você não usa filtro solar todos os dias, mesmo em casa ou no escritório, atenção: saiba que as luzes visíveis (telas de computador, do celular e as luzes artificiais de casa) também podem acelerar o envelhecimento precoce e prejudicar a saúde da pele.  

Ao contrário do sol, essas luzes “silenciosas” não queimam, nem deixam a pele ardendo, mas a longo prazo elas podem provocar o surgimento de manchas, incluindo o Melasma, e contribuir para o desenvolvimento de doenças cutâneas como a dermatite actínica crônica e a fototoxicidade. 

 

Como proteger a pele do sol no verão?

A dica número 1 é se proteger, quimicamente e fisicamente. Não é legal se expor ao sol, nem por pouco tempo. Além de utilizar o filtro solar diariamente, é importante apostar em utensílios que ajudam a fazer uma barreira contra o sol, como chapéus e roupas específicas.

Algumas dicas interessantes para escolher o protetor solar ideal:

-> Analise as características do seu tipo de pele e opte pelas texturas mais convenientes. Quem tem pele seca e sensível, por exemplo, pode apostar nos produtos em mousse ou em creme, enquanto os pacientes com peles oleosas e acneicas devem dar preferência aos filtros em gel ou sérum, livres de óleo. 

-> Aposte nos produtos de amplo espectro, com bloqueio aos raios UVA e UVB;
-> O fator de proteção solar (FPS) deve ser igual ou maior que 30;
-> Por fim, especialmente se você tiver tendência à manchas, é válido apostar nos filtros com cor, que funcionam como uma barreira extra na pele.

 

O perigo das câmaras de bronzeamento artificial

Até há pouco tempo atrás, muitas pessoas apostavam nas câmaras de bronzeamento como opção para atingir a cor dourada na pele, sem se expor ao sol. Entretanto, essas máquinas são ainda mais perigosas para a pele! A Anvisa proibiu desde 2009 o uso das câmaras de bronzeamento artificial, após pesquisas de várias instituições afirmarem que estes equipamentos podem propiciar um risco 75% maior para o desenvolvimento do câncer de pele. E o pior: os estudos da OMS afirmam que a exposição às lâmpadas UVA aumenta o risco do desenvolvimento do câncer tipo melanoma, que é considerado o mais grave entre os cânceres de pele.

Como se bronzear com segurança no verão? Aposte nos autobronzeadores!

Se você é daquelas que não dispensa uma cor dourada no verão, mas quer manter a beleza e a saúde da pele, a minha dica é: aposte nos autobronzeadores . Este produto é muito seguro e consegue pigmentar a pele por meio de uma reação química entre a substância dihidroxiacetona (DHA) e alguns aminoácidos presentes na camada cutânea. O resultado é um bronze lindo e o melhor: sem precisar se descuidar da saúde e da beleza. 

Na dúvida, converse com o seu #dermatologista sobre o assunto!

 

Comentários: