Você sabe como a nossa pele envelhece? Quais são os processos envolvidos na perda de firmeza da pele? E como as rugas aparecem? Hoje eu vou te explicar!


O envelhecimento da pele ocorre de forma progressiva, com maior intensidade após os 30 anos, e está associado à diversos fatores, que podem ser intrínsecos (relacionados ao tempo cronológico) e extrínsecos (relacionados aos nossos hábitos e fatores externos do dia a dia).

 

Envelhecimento intrínseco ou cronológico

Trata-se de um processo fisiológico, que ocorre com o passar dos anos e provoca, gradualmente, a diminuição na produção das fibras colágenas (de sustentação e elasticidade) do tecido cutâneo. Além da produção de colágeno se estabilizar após os 30 anos, o organismo também passa a degradar o colágeno já existente, o que diminui a capacidade de renovação celular e culmina  na perda de firmeza e vitalidade da pele.

 

Envelhecimento Extrínseco ou externo

O envelhecimento extrínseco é provocado pelo conjunto de hábitos, fatores externos e ambientais que podem acelerar o processo natural do envelhecimento cutâneo. Assim, fatores como a exposição ao sol sem proteção, a alimentação desequilibrada, o tabagismo e o excesso de bebidas alcoólicas, além da falta de hidratação cutânea, por exemplo, podem acelerar a perda de firmeza e viço, o surgimento de rugas, manchas, poros dilatados e outros sinais.

 

Os sinais do envelhecimento em cada faixa etária

 

  • Aos 30

 

 

A chegada dos 30 anos é um marco na vida da maioria das pessoas. Nesta fase é comum que a pele comece a apresentar os primeiros sinais do envelhecimento, o que provoca não só alterações físicas, mas desperta também mudanças psicológicas. A partir dos 30 anos, o organismo passa a desacelerar o ritmo de produção do colágeno e a degradar essa proteína numa velocidade maior. O resultado é o surgimento gradual de sinais como rugas, linhas finas, flacidez, manchas e poros dilatados. Por isso, quem já faz parte desta faixa etária deve manter cuidados especiais em casa, como a aplicação do filtro solar, a limpeza correta da pele, a boa hidratação e o uso de antioxidantes e ácidos leves, como a Vitamina C.

Em consultório, a pele dos 30 pode se beneficiar de vários procedimentos preventivos, como a Toxina Botulínica, os peelings faciais, microagulhamento robótico, preenchimentos de ácido hialurônico, lasers superficiais e as técnicas de estímulo ao colágeno, como os bioestimuladores e o ultrassom micro e macrofocado – Ultraformer III.

 

 

  • Aos 40

 

Nessa faixa etária a degradação do colágeno já está mais intensa, evidenciando rugas profundas, sulcos e a perda de firmeza da pele. Para evitar todos esses sinais é importante manter uma rotina rigorosa de cuidados caseiros e investir em tratamentos em consultório, como os lasers, ultrassom microfocado e o microagulhamento robótico. Além disso, uma boa dica para manter a face bem sustentada, livre dos vincos e da flacidez, é apostar no MD Codes, criando pontos de reestruturação e sustentação facial profundos, para elevar o rosto e melhorar o desabamento da face,  e nos bioestimuladores cutâneos, a fim de melhorar a qualidade e a espessura da pele. Além disso, não podemos esquecer a toxina botulínica para suavizar a contração muscular da face e prevenir as rugas de expressão

 

 

  • Aos 50

 

Após os 50 anos, é muito importante que homens e mulheres façam um acompanhamento regular com o dermatologista, a fim de tratar com resultados satisfatórios os sinais do tempo. A partir desta idade, já é possível perceber mudanças consideráveis na textura da pele, alterações no contorno facial, perda de volume e irregularidades + flacidez em outras regiões do corpo, como o pescoço, o colo e as mãos. Por isso, o ideal é apostar nos procedimentos que estimulem a produção de colágeno de forma intensa, como a aplicações de lasers Fotona, Endymed e o Exilis Ultra 360 (grandes plataformas tecnológicas), além da associação dos bioestimuladores injetáveis com o ultrassom micro e macrofocado (UltraformerIII) na face e no corpo.

A toxina botulínica para prevenir as rugas de expressão e o preenchimento com ácido hialurônico, principalmente para sustentação facial e reposição do volume perdido com os anos, continuam bem-vindos para atenuar os principais sinais do envelhecimento.

É importante ressaltar que os protocolos de tratamento devem ser construídos de forma individualizada, após uma avaliação completa da pele do paciente pelo dermatologista.

 

 

  • Aos 60 ou mais

 

A pele madura, após os 60 anos, apresenta os sinais do envelhecimento cutâneo de forma intensa e, por isso, deve ser muito bem tratada. Além da hidratação, limpeza e da proteção diária contra os raios UV do sol, alguns procedimentos podem ajudar a recuperar a jovialidade da pele nesta faixa etária:

  • A aplicação da Toxina Botulínica, preenchedores e bioestimuladores de colágeno para reestruturar a face, atenuando as linhas de expressão, sustentando o rosto e melhorar o tônus da pele;
  • Peeling químicos e físicos, que visam renovar as camadas da pele, a fim de uniformizar a textura e a tonalidade da face;
  • Lasers específicos para remover manchas, suavizar outras irregularidades cutâneas e melhorar rugas finas e textura de pele;
  • O Microagulhamento de Ouro EndyMed, que provoca micropunturas na pele e, ao mesmo tempo, emite energia de radiofrequência, potencializando a produção de colágeno novo e tratando manchas, rugas e a flacidez;
  • E o ultrassom micro e macrofocado – UltraformerIII, para promover mais elasticidade, firmeza e tônus à pele.

 

É importante ressaltar que para cada paciente deve ser montado um protocolo individualizado de tratamento.

 

Comentários: