Você está notando que  os seus cabelos estão se tornando mais ralos, finos e com menos volume? Então é hora de procurar a orientação de um dermatologista. A queda de cabelo é uma das queixas mais frequentes em consultório médico e, geralmente, é uma das condições que mais afeta o emocional de homens e mulheres.

Para entender tudo sobre a queda capilar, é importante começarmos falando sobre o ciclo de vida que os fios têm.

 

O ciclo capilar

O ciclo capilar é dividido em 3 fases principais: Anágena (de crescimento), Catágena (manutenção e preparo para queda) e Telógena (de queda):

Na Fase 1, Anágena, os fios estão ativamente em crescimento. Essa fase dura, em média, 2 anos nos homens e de 3 a 5 anos em mulheres.

Na Fase 2, Catágena, os fios se preparam para entrar em queda. Trata-se de uma etapa rápida, de 2 a 3 semanas.

Finalmente, na Fase 3, Telógena, os cabelos se desprendem do couro cabeludo, dando lugar para um novo fio anágeno. Esse processo dura em torno de 3 meses.

Quando dizemos que, em média, caem de 50 a 150 fios diariamente, nos referimos à estes cabelos em fase telógena.

 

Como saber se a queda de cabelo é normal ou não?

Nos casos em que paciente está incomodado com a queda capilar é importante observar dois fatores:

  1. Se a quantidade de fios que caem nos ralos, travesseiros, roupas, entre outros, está aumentada;
  2. Se o aspecto do couro cabeludo está diferente, ou seja, com falhas, com fios mais finos e ralos.

Nesses casos, é fundamental procurar o dermatologista precocemente para um diagnóstico correto e, se necessário para intervir de forma rápida.

 

As principais causas para a queda capilar

De forma geral, a queda dos cabelos pode estar relacionada com:

-> Fatores hereditários, como a Calvície;

-> Fatores Hormonais: alterações nos níveis de hormônios ou períodos como a gravidez e a menopausa;

-> Estilo de vida e a manutenção da saúde: questões como a má alimentação e as deficiências nutricionais;

-> Doenças do couro cabeludo ou doenças sistêmicas, como Lúpus, Alopecia Frontal Fibrosante, Líquen Plano Pilar, Psoríase, Diabetes, entre outras.

Além disso, outras causas pontuais de queda envolvem hábitos como o uso excessivo de apliques (alopecia por tração) e a realização de procedimentos químicos incompatíveis.

 

A calvície em homens e mulheres é diferente?


Sim. Geralmente,, no público masculino, a queda capilar se inicia nas entradas ou no topo da cabeça, acometendo todos os fios da região e deixando áreas calvas bem aparentes. Já nas mulheres, o quadro costuma acontecer de forma difusa e lenta, com o afinamento e a rarefação de alguns fios, deixando o couro cabeludo com menos volume. Por terem características diferentes, o tratamento em cada pessoa deve ser feito de forma individualizada.

 

Como tratar a queda capilar?

Além do uso de medicamentos tópicos e orais específicos, alguns procedimentos em consultório podem ser feitos para combater a queda capilar e estimular o crescimento de novos fios, como:

 

  1. A Intradermoterapia Capilar: o procedimento visa aplicar manualmente no couro cabeludo, substâncias, medicamentos e ativos específicos para o tratamento da queixa capilar, potencializando os resultados e estimulando o crescimento dos folículos pilosos.

 

  1. A aplicação de lasers de baixa potência: a aplicação deste tipo de laser promove  um processo chamado fotobioestimulação, em que o metabolismo das células do bulbo capilar é estimulado, aumentando o tempo de crescimento dos fios, reduzindo as possíveis inflamações na região e melhorando a circulação sanguínea local.

  2. O MMP®: a Microinfusão de Medicamentos na Pele visa depositar, de forma homogênea, vitaminas, medicamentos e outros ativos específicos no couro cabeludo. O MMP Capilar é realizado por meio de um equipamento com micro agulhas, que penetram suavemente na pele do couro cabeludo.

 

A consulta com um dermatologista é fundamental para esclarecer quais são os melhores procedimentos em cada caso.

Comentários: