As estrias na pele estão entre as queixas mais comuns de homens e mulheres que procuram um dermatologista. Essas marquinhas, que podem ser avermelhadas ou esbranquiçadas, surgem em diferentes regiões do corpo devido ao rompimento das fibras elásticas no tecido subcutâneo. 

 

Quais são as principais causas das estrias?

As estrias são cicatrizes internas ocasionadas pelo estiramento excessivo da pele. Diversos fatores podem favorecer o surgimento das marcas, como:

  • A falta de hidratação cutânea ;
  • O estiramento de pele em uma gravidez ou durante o processo de crescimento;
  • As oscilações de peso;
  • Distúrbios hormonais;
  • Uso de alguns medicamentos ou de anabolizantes;
  • Crescimento muscular abrupto;
  • Colocação de próteses de silicone em pacientes com a pele pouco elástica;
  • Entre outros.

 

Estrias avermelhadas X Estrias esbranquiçadas – Qual a diferença?

De forma geral, classificamos as estrias em dois tipos principais: as marcas recentes, que têm coloração rósea, avermelhada ou arroxeada; e as marcas antigas, caracterizadas pelo tom esbranquiçado. 

As cicatrizes recentes são consideradas mais fáceis de serem tratadas, já que nesses casos o tecido cutâneo ainda apresenta oxigenação e circulação de sangue local. Por outro lado, as estrias brancas, já sofreram uma atrofia e  são mais difíceis de atenuar. Por isso, o ideal é que o tratamento seja iniciado assim que essas marcas surgem na pele, para resultados mais satisfatórios.


Prevenir as estrias… é possível?

De certa forma, sim. Se tomados alguns cuidados com a pele, é possível diminuir as chances de ter uma estria. Mas é importante ressaltar que existem pacientes propensos ao problema e que, mesmo mantendo todos os cuidados, essas cicatrizes podem ainda assim surgir. De forma geral, as dicas para quem deseja evitar o aparecimento das marquinhas na pele são:

  1. Manter a boa hidratação cutânea, com o uso de cremes e óleos potentes;
  2. Ingerir bastante água no dia a dia;
  3. Evitar as oscilações de peso;
  4. Consultar regularmente o dermatologista para avaliação da pele. 

 

Tenho estrias – E agora? 

Quem – assim como boa parte da população – apresenta essas marcas na pele, pode apostar em vários tratamentos dermatológicos para atenuar o seu aspecto. Algumas boas opções são:

 

 

  • Laser de Erbium

 

O laser de Erbium do FOTONA age em camadas profundas da pele, estimulando a neocolagênese e diminuindo o diâmetro das estrias, que se tornam bem mais discretas. Além disso, outros tipos de laser podem ser eficazes para o fechamento dos pequenos vasos sanguíneos das estrias avermelhadas, uniformizando o tom da pele. 

 

 

  • EndyMed – Microagulhamento Robótico

 

O EndyMed™ é um equipamento de microagulhamento robótico que provoca, de forma automatizada e segura, pequenas punturas na pele, estimulando a produção de #colágeno . Além do efeito de microagulhamento, esta tecnologia emite uma energia de Radiofrequência na área tratada, permitindo agir em camadas profundas da pele e potencializando os resultados na síntese de colágeno. O tratamento pode ser associado à técnica de drug delivery, com a entrega de medicamentos na pele após a sessão, o que otimiza a sua absorção e potencializa os efeitos dos ativos aplicados na área tratada.

 

 

  • MMP – Microinfusão de Medicamentos na Pele

 

Procedimento no qual se utiliza um aparelho elétrico com microagulhas em sua extremidade, visando a infusão de medicamentos e substâncias estimuladoras na área acometida. A máquina de MMP®, produzida na Alemanha, alcança a profundidade e extensão adequadas e simétricas, atingindo de forma homogênea a região tratada. Além de potencializar a entrega de medicamentos e ativos benéficos para o tratamento das estrias, o procedimento também induz a formação de colágeno e elastina na pele, potencializando os resultados.

 

 

  • Peelings químicos

 

De forma geral, o peeling químico consiste na utilização de substâncias específicas que removem a camada superior da pele, que em seguida será substituída pelas novas células que são produzidas naturalmente pelas camadas mais inferiores. O procedimento pode ser superficial, médio ou profundo, a depender da concentração dos ácidos utilizados na pele. Além de renovar as camadas cutâneas, os peelings estimulam a produção de colágeno novo, melhorando de forma geral a textura da pele e a aparência de cicatrizes como as estrias. 
A consulta com o Dermatologista é fundamental para avaliar o tipo de estria, a sua extensão e, assim, indicar os melhores tratamentos em cada caso. 

 

Comentários: