O que é?

O melasma corresponde ao surgimento de manchas escuras na pele que podem aparecer, principalmente, no rosto de mulheres adultas que se expõe ao sol constantemente.
O melasma pode ser classificado em três tipos:
● Epidérmico: depósito acumulado de pigmentação na camada superior da pele.
● Dérmico: depósito de pigmentação na camada mais profunda da pele, onde se encontram os vasos sanguíneos
● Misto: depósito de pigmentação nas regiões profundas e superficiais.

O melasma também pode ser classificado conforme a região que aparece no rosto:
● Malar: manchas presentes nas maçãs do rosto
● Centrofacial: manchas na parte central do rosto, como testa, bochechas, parte superior dos lábios, nariz e queixo.
● Mandibular: manchas na região da mandibula.

Existe ainda o denominado cloasma gravídico, que é o caso do surgimento de melasma em mulheres grávidas.
O melasma não causa nenhuma complicação fisiológica, porém pode se tornar um grande transtorno emocional se não for tratado no início pela questão estética. Por isso ressalta-se a importância de uma consulta com um dermatologista o mais rápido possível.

Causas

Os fatores que podem levar ao melasma são variados, sendo os principais:
● Exposição ao sol, uma vez que os raios ultravioletas emitidos pelo sol estimulam a produção de melanina, que é responsável pela pigmentação da pele.
● Mudanças hormonais causadas pela gravidez ou uso de medicamentos específicos, como anticoncepcionais.
● Irritação da pele por decorrência do uso de cosméticos, que muitas vezes são usando para disfarçar as manchas mas acabam piorando-a.
● Histórico familiar de melasma.
Mulheres morenas possuem uma chance muito maior de contrair a doença devido aos picos hormonais e a maior quantidade de melanócitos ativos para produzir a pigmentação.

Sintomas e Tratamentos

O único sintoma do melasma consiste no aparecimento de manchas escuras na pele, principalmente na região facial, que podem variar de cor de acordo com o tom de pele da pessoa. São simétricos (aparecem nas duas partes do corpo) e possuem formatos irregulares.
O dermatologista é o profissional mais adequado para diagnosticar o melasma através de exames clínicos ou mesmo observação das manchas.
O tratamento pode variar de acordo com cada paciente e fase da doença. Os meios mais utilizados são o uso de medicamentos tópicos e orais. Em caso de refratariedade, podemos utilizar peelings, microagulhamento e lasers. Dependendo da gravidade das manchas, também é recomendável tratamento psicológico

Comentários: